• Luama Socio

Há um incêndio no mundo


"Caos na UERJ", da série Os cães estão à solta

Há coisas tristes sob as cores fortes. Há um incêndio no mundo.

Essa parece ser a mensagem de vários quadros de Renan Henrique Carvalho.

Olhamos suas pinturas e percebemos uma familiaridade com todos esses assuntos urgentes e cultivados sobre as trilhas da violência com todas as suas estéticas na onipresente cultura de massas através de seus noticiários, filmes, séries, livros, músicas; junto com todos os muros, ruas, pessoas, sentimentos, sofrimentos e a política e a cidade, o planeta com suas estruturas e desestruturas, objetos, guerras, organizações e desorganizações.

Mas o traços ali nos quadros são marcas de uma mão humana pertencente a um indivíduo de fora da massa. Diferente do hipnotizado homem comum, há um artista que sente intensamente tudo o que pinta. E assim as imagens que esse artista produz despertam sentimentos fortes em que vê.

"É sempre bom ganhar um beijo de boa noite"

Muitas das obras de Renan Henrique Carvalho são realizadas com os materiais convencionais da pintura mas obviamente o convencionalismo aqui pertence mais à esfera prática do ofício do que à questão de se cultivar cânones estéticos e ideológicos: “nas minhas referências busco os artistas desconhecidos das estórias em quadrinhos, dos mangás, dos videogames, dos filmes. Para mim a questão principal não é o que é arte e sim o que podemos fazer com a arte. Mas acredito que o contexto em que vivemos se caracteriza por uma elite que denomina o que pode ser arte e o que não pode ser arte. Pela própria história da arte podemos observar esse movimento, que nos alcança até hoje, da valorização da cultura europeia”.

"É sempre um prazer", da série Exército dos inocentes

Claro que pode-se dizer, sem medo de errar, que todos nós, massificados, estamos saturados das imagens da violência naturalizada pelos meios de comunicação. Mas os quadros de Renan, superando justamente essa saturação, falam dessa violência que se tornou banal tornando-a, de repente, terrivelmente impactante e significativa através das cores fortes que é o sol do Rio de Janeiro.

A carioca luz dourada, com seu peculiar tom de nobreza desprezada, é despejada como que aos baldes sobre todos os desperdícios de beleza das cenas da cidade em vários quadros do artista.

Ele diz: “para mim, a questão estética do trabalho sempre será a menos importante. Desenvolvo os quadros pensando na narrativa, em como vou atingir quem eu quero atacar; como vou passar para a tela o meu cotidiano, o cotidiano da minha cidade. Acredito que a beleza do trabalho não consiste na questão visual, mas sim no olhar do artista sobre o espaço-tempo em que vive.”

Quadro da série Os cães estão à solta

"Guerra no CIEP", da série Os cães estão à solta

Apesar de muito jovem - Renan tem 19 anos - o pintor tem o entendimento técnico da utilização das cores altamente desenvolvido. Ele também domina o desenho com desenvoltura expressiva suficiente para prender o olhar do público. Sua arte, como objeto visual, é tão bem determinada, que uma das maiores influências estéticas do seu trabalho, nomeadamente os videogames, são considerados imagens inerentes à realidade: “o videogame, que é um dos aspectos pictóricos que procuro por nas telas, é um modo de fazer paralelo com o jogo da vida, em que a ação determina o futuro. Acredito que a realidade em que vivemos se relaciona com isso”.

Quadro da série Os cães estão à solta

Renan diz que o que aprende como aluno da faculdade de Artes Visuais da UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) vai além das matérias convencionais: “o contexto político da UERJ é importantíssimo para mim e para o meu trabalho, contexto esse que não se apresenta apenas nas aulas, mas principalmente no convívio e conversas com outros estudantes. Escuto todo tipo de história de todo tipo de gente. Busco colocar no meu trabalho esse conhecimento antropológico adquirido. Acredito que a minha narrativa possui um pouco de cada uma dessas histórias que ouço”.

"Hora de dormir"

"Os cães estão a solta

Acolitando seu juramento

Pelejando contra a choldra

Sem ponderar

Os cães estão a solta"

Há muita coisa importante nesse mundo, coisas graves, coisas às quais devemos prestar atenção. É isso que esses quadros dizem.

Quanto à personalidade do artista, Renan Henrique Carvalho diz: “minhas ambições não são direcionadas para aspectos monetários ou midiáticos, busco apenas ter tranquilidade para fazer meus trabalhos sem compromissos, conviver com pessoas que admiro e ocupar o máximo do meu tempo fazendo coisas que realmente gosto”.

Para conhecer mais sobre o trabalho de Renan Henrique Carvalho:

Facebook:

www.facebook.com/renanhenriquecss?ref=br_rs

Instagram:

www.instagram.com/__renanhcarvalho/?hl=pt-br

#RenanHenriqueCarvalho #Artebrasileira #ArtesPlásticas #LuamaSocio #Katawixi