December 28, 2019

Semillas: onde o Zé Povinho não encosta

As figuras de mulheres desenhadas por Carolina Itzá aparecem aqui e ali, em muros e exposições de bairros considerados periféricos de São Paulo e nos espaços da internet, comunicando coragem e beleza como qualidades sinônimas.

A mulher que luta é a mulher em essência integrada com os elementos da natureza, da cidade, do passado e do presente. É a mulher desse país, de outros países, dessa cidade e de outras cidades. É a mulher que não recusa nada em sua história, que não foge de nada, embora paradoxalmente e, consequentemente poeticamente, apareça por vezes dizendo não e apareça também algumas vezes fugindo.

Icamiaba guerreira
Tem um seio só
Pra flechar certeiro.
No seu mergulho
Nas águas profundas
Dos rios de dentro
Traz, pedra verde
Muiraquitã
Amuleto fértil do povo seu...
Nunca seca.
(Assim me contou Beth)
.

Essas aparências são as expressões da presentificação da mulher universal que, através do olhar de Itzá, inevitavelmente significa-se através...

December 23, 2019

 Dona Maria Rita; foto de Walter Antunes

No meio do rio Araguaia, na região conhecida como Bico do Papagaio, está localizada a Ilha de São Vicente, uma das maiores ilhas fluviais do Brasil. Ali vivem os remanescentes quilombolas que contaram um pouco da história de suas vidas para uma equipe da Universidade Estadual do Tocantins. As personagens e suas histórias podem ser conhecidas, lidas e ouvidas acessando-se o site www.historiasdailha.com

O quilombo Ilha de São Vicente é um espaço privilegiado de conservação de histórias de vidas humanas por um lado ligadas fortemente à natureza e por outro abandonadas pelas políticas sociais de Estado.

A Ilha, que originalmente pertencia a um território configurado pela etnia indígena dos Araras, passou a ser habitada na segunda metade do século XIX por ex-escravizados que “ganharam” a terra de seu antigo “senhor” por ocasião da Lei Áurea e prossegue ocupada pelos descendentes desses primeiros habitantes, resistindo em suas formas de vida face às pres...

December 15, 2018

Neste belíssimo livro organizado por Dib Carneiro Neto e Rodrigo Audi a trajetória de Gabriel Villela é narrada através de fotos de espetáculos teatrais e musicais, depoimentos pessoais e textos de críticos, atores e colegas de trabalho.

Gabriel Villela é um nome que dispensa apresentações no meio teatral. Em sua profícua produção, iniciada profissionalmente no final da década de 1980, vem colecionando diversos prêmios e críticas positivas com espetáculos exuberantes que derivam de textos dos autores clássicos, como Shakespeare, Schiller e Beckett, mas também de um mundo mais prosaico e particular, a partir do qual revela sua mineiridade.

O livro é editado pelo selo Sesc e pode ser encontrado nas lojas das unidades do Sesc.

December 15, 2018

Obviamente a impossibilidade lógica da "escola sem partido" está enunciada no autoritarismo e repressão de um partido específico, o qual está agora no comando da educação pelo Estado.

A própria ideia de educação pelo Estado foi tomada, historicamente, pelos totalitaristas, como um partido específico, e portanto agora trata-se do partido das pessoas que dizem que o Estado é seu partido e que isso é ser sem partido.

Lembre-se que educação de massa só se dá pela alternativa da repressão. Essa é uma condição física da escola, como ela já ocorre, na obrigatoriedade da educação pelo Estado. 

Professores amorosos têm tentado driblar essa triste condição. Em muitos casos isso se torna possível. Mas o amor jamais será apenas um método educativo. Trata-se de um princípio de vida. Por causa desse princípio de vida a educação tantas vezes torna-se aliada do verdadeiro desenvolvimento humano embora inserida no contexto estrutural de opressão.

Existem muitas teorias, m...

December 14, 2018

Pois prossegue a conversa entre Walker Dante e Roselena.

Walker Dante - É claro que fiquei tremendamente estupefacto ao perceber que as pessoas poderiam achar outra coisa do meu cristianismo, e também fiquei espantado de perceber cruamente o nível baixo e abjeto das pessoas à minha volta quanto à sabedoria moral de se viver em sociedade. Se Jesus, o Cristo, disse em primeiro lugar, amar a Deus sobre todas as coisas, isso significa reconhecer uma vontade maior, à qual eu reconheço que a minha está submetida, pois pela minha inteligência percebo que quero e consigo várias coisas e percebo que quero mas não consigo várias coisas e tem uma imensidade de coisas pelas quais não me interesso, mas que existem, e exercem influências, e fazem parte do mundo. Então nasce em mim a humildade. Ela é um traço psicológico da força,  porque o humilde não se abate, segue em frente pelos desígnios de Deus. E Jesus, o Cristo, diz em segundo lugar, que deve-se amar ao próximo como a si mesmo. Ou seja, não f...

December 14, 2018

De noite Tomás acordava sobressaltado em sua cama das muitas voltas que dava em si mesmo enquanto dormia, isso quando realmente dormia e não ficava a madrugar os fantasmas da noite, confabulando histórias dos outros e de si para consigo mesmo.

Durante o dia, devaneava entre as coisas e pessoas, entretempos e contratempos: parava qualquer atividade e olhava ao derredor da existência, se perguntando pelos sentidos de cada pequeno gesto, cada pequena vivência até ao ponto de desfalecer os sentidos e abrir os olhos poéticos para os cachorros cheirando o lixo, pombas pousadas nos fios elétricos, senhoras conversando nas portas das casas.

A cada dia, Tomás contraía mais alguma coisa da vida: doía-lhe o peito em nostalgias das coisas inexistentes, dava-lhe a febre das palavras inauditas e chorava pelo irreversível.

Foi se consultar, "doutor, diz-me que coisa é essa que me sacode inteiro, estrebucha como um peixe no anzol fora da água, esse som aqui dentro, que mais parece um pássaro engaiolado".

...

December 13, 2018

As bibliotecas das pessoas e dos escritores permitem deduzir afinidades e gostos, influências e inspirações; todavia, a menos que haja anotações e referências, não saberemos bem o que foi lido e apreciado, repelido ou assimilado.


É rara a casa que não tenha a sua estante de livros, poucas as pessoas que não recorrem aos livros para aprender, comungar ou evadirem-se. E se houve escritores que tiveram poucos livros, ou que leram com dificuldade em bibliotecas públicas ou de outros, muitos há que se viram rodeados de boas companhias, podendo navegar em diferentes cursos psico-energéticos e atingir certas intuições, compreensões e visões novas, originais, que acabaram por se incorporar nas suas almas e escritos e eventualmente em quem os ler…


Assim, cada casa, cada pessoa deveria ter uma razoável biblioteca para a evolução pessoal sua e da Humanidade, ainda que, nos tempos modernos, os computadores e a internet sejam por vários modos, nomeadamente por possuírem já descarregados ou reproduz...

December 8, 2018

As mandalas são essas belíssimas representações do centro do eu humano em processo de irradiação cósmica, expansão de formas, expressões em eclosão ao infinito do círculo.

Há sete anos, em dias determinados, sempre à meia-noite, o fotógrafo Walter Antunes

realiza uma mandala. A imagem é produzida com a câmera do celular e é imediatamente comunicada ao mundo pelo Instagram do fotógrafo.

Muitas dessas mandalas surgem de um ponto secreto e escuro. Na maior parte das fotos mandálicas o fundo é preto. Elas fazem parte de um trabalho mais amplo incluindo outras formas, com título emprestado de uma música de Jimmi Hendrix: "Burning of the midnight lamp".

A combustão da lâmpada solitária da canção é metaforizada pela luz cristalizada nas linhas e cores místicas e universais das mandalas. Embora produzida na solidão, como sugere a música, essa fotografia dirige-se instantaneamente ao mundo, simplesmente porque exprime a natureza da vida como arte e, consequentemente, beleza compartilhada.

Essas...

December 5, 2018

Marco Fronteiriço

Cicatrizes são ritos de passagem, marcas como portais, divisórias de realidades paralelas, testemunhas do tempo e da transcendência do tempo.

La Camargo diz: “O processo de cicatrização é uma reparação tecidual que substitui o tecido lesado por um tecido novo. A reparação envolve a regeneração de células, a formação de tecido de granulação e a reconstrução do tecido. Esses eventos não acontecem isoladamente, e sim, sobrepondo e se completando. Essa cicatriz que se transforma em uma memória conta uma história, uma origem e seus desdobramentos. Cortes, cirurgias, envelhecimento, infância, ancestralidade, maternidade, puberdade, queimaduras, doenças, afetos... tudo passa pelo corpo.”

São imagens sobre essas ideias e coisas que vemos na arte de Laz Camargo, reunida na série “Cicatrizes”.

 Sorte ou Azar

Na elaboração de sua obra a artista reúne uma multiplicidade de vozes e acontecimentos cicatrizantes: “Ouço as vivências de outras pessoas sobre ritos de passagem. A arte deve p...

Caminhar pela Cidade de Goiás é principalmente sentir-se na terra de Cora Coralina. A antiga capital do estado de Goiás é uma cidade ainda preservada em várias construções históricas, porém o espírito de Cora, sempre vivo, domina a paisagem desde sua casa (essa à esquerda, na primeira foto), transformada em museu, até as atividades econômicas. Muito doce feito com as receitas da poeta é feito por ali e vendido nas ruas e lojas.

É na Cidade de Goiás que vemos melhor o enorme significado da força da poesia que transforma a mulher humilde, antes confinada pelas paredes domésticas, expandindo-se pela cidade e pelo mundo. No poema “Aninha e suas pedras”, Cora, nascida Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas em 1889, deixara escrito seu método poético e prático refletido agora na paisagem:

Recria tua vida, sempre, sempre.

Remove pedras e planta roseiras e faz doces.

Recomeça.

Faz de tua vida mesquinha um poema.

Na casa onde Cora passou a infância e depois a velhice, agora funciona um museu, onde o...

Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square